Comprar para alugar ou para vender?

Na hora de escolher um imóvel para investir, já falamos que você precisa ter muito claro os seus objetivos de como pretende ganhar dinheiro com ele. Você pretende comprar para alugar ou para vender? Dependendo da sua escolha, sua estratégia deve ser diferente.

Se a ideia é comprar para alugar, sua preocupação deve ser de encontrar um imóvel atraente para achar logo um locatário. Nessa hora, é fundamental fazer uma avaliação correta do valor do aluguel. Normalmente, especialistas avaliam que o valor do aluguel gira entre 6% e 8% ao ano – mas para isso você precisa pesquisar no bairro escolhido e ver se a sua estimativa bate com o valor praticado no mercado.

Pesquise no bairro, veja os diferenciais do seu imóvel e saiba que e faça o cálculo do quanto pretende receber de aluguel todo mês. Esta será a sua renda com o investimento.

Se, por outro lado, seu objetivo é comprar um imóvel na planta para revendê-lo depois de pronto, a estratégia é diferente. Você precisa garimpar, ver o potencial de valorização do imóvel, do bairro e as tendências do mercado, para poder encontrar a opção certa para você com maior chance de valorização. O seu retorno será a diferença entre o valor de compra e de venda – e não se esqueça que você terá de pagar imposto de ganho de capital. De acordo com especialistas, é comum ver valorizações de 20% em períodos de até três anos.

No entanto, você precisa avaliar os riscos de cada uma das operações. Encontrar um locatário nem sempre é tarefa fácil, assim como um comprador para o seu imóvel. Enquanto isso, você fica responsável pelo pagamento de despesas do condomínio e do IPTU. Portanto, antes de tomar a sua decisão, sempre avalie bem os custos totais envolvidos e projete alguns meses com o imóvel parado, para não ter surpresas depois!

E tem mais: se você comprar um novo imóvel em até seis meses depois de vender um antigo, você não paga imposto de renda sobre o primeiro. Então precisa estudar bem todos os aspectos envolvidos, para garantir que terá um bom retorno sem dor de cabeça.

Por: Carolina Ruhman Sandler